05 outubro 2009

A LIBERDADE E O DEVER

Segundo o dicionário Michaelis Liberdade, entre outras acepções, é: 1 Estado de pessoa livre e isenta de restrição externa ou coação física ou moral. 2 Poder de exercer livremente a sua vontade. 3 Condição de não ser sujeito, como indivíduo ou comunidade, a controle ou arbitrariedades políticas estrangeiras. 4 Condição do ser que não vive em cativeiro. 5 Condição de pessoa não sujeita a escravidão ou servidão. 6 Dir Isenção de todas as restrições, exceto as prescritas pelos direitos legais de outrem. 7 Independência, autonomia. 8 Ousadia. 9 Permissão. 10 Imunidade...../. Liberdade, Igualdade, Fraternidade: lema da Revolução Francesa (1793), posteriormente adotado pela Maçonaria e por muitas democracias.
O mesmo dicionário define Dever como: 1 Obrigação de fazer ou deixar de fazer alguma coisa, imposta por alguma lei, pela moral, pelos usos e costumes, ou pela própria consciência. 2 Em sentido absoluto, conjunto das obrigações: Ser fiel ao dever. sm pl Obrigações prescritas pela lei, pela moral, por um contrato etc. Dever de consciência: aquele que deriva da noção que o homem deve ter do que é bom e justo. Dever de honra: o que resulta das leis e convenções esta¬be¬lecidas pela sociedade.
Como podemos, então, estabelecer as relações entre o ter liberdade e os nossos deveres?
Há, erradamente, dentro do contexto humano, uma tendência de todos em buscar exercer sua liberdade, da maneira mais ampla possível e, simultaneamente, se ater a forma, minimamente, necessária de cumprir com seu dever.
Torna-se importante ter a consciência de que a liberdade é, antes de qualquer coisa, um constructo interno do ser humano. É um verdadeiro estado de espírito que anima a cada um, não sendo uma conquista material, física, mas uma visão de vida. A pessoa pode ser livre, trabalhando, estudando e até mesmo no cativeiro, desde que vivencie, internamente, a sua liberdade de ser. Se nos espelharmos nos mártires do Cristianismo ou nos monges budistas, que se imolaram em fogo, protestando contra o que não concordavam, teremos a expressão maior do que acabamos de afirmar a cerca da liberdade-santuário interno de cada um.
Erroneamente, julgamos ser livre cada vez mais poder fazer tudo que, dentro ou fora da Razão, quisermos. Neste ponto começa a relação intrínseca como Dever. Temos que entender que o Dever não é um cerceamento da Liberdade. Pelo contrário, o Dever é necessário e mesmo um balizador da nossa Liberdade. O Dever estabelece os limites comuns a que todos devem se submeter.
Ao longo da leitura da Bíblia vamos entendendo quão definidor de deveres é o Livro Sagrado. É o maior código de condutas que temos e, por conseqüência, definidor, também de nossa Liberdade. Ali está a busca da Razão e o caminho para a Jerusalém Celeste. É ali que aprenderemos a submeter nossas paixões e construir nossa Liberdade, limitada pelos Deveres de todos.
Nesse ponto, ao retornarmos a definição do Michaelis, veremos como está atado, na maior parte do tempo a visão humana da palavra, na medida em que relaciona Liberdade à não existência de restrições. Volto a insistir, sem restrições, não há liberdade, embora possa parecer uma contradição.
E como nascem os deveres? A Razão é a principal fornecedora de subsídios para o estabelecimento deles. Muitos existem, até mesmo, sem estarem escritos. Embora tácitos, todos sabem de suas existência e a maioria os segue.

2 comentários:

Mariana Tatos disse...

a Bíblia é uma grande utopia humana...por onde se prende a subjugação moral e valores...
a liberdade será sempre à servir ao cetiscismo , a existência, ao amor de forma epicurista, melhor forma de vivenciar a vida é ser um hedonista momentâneo, só és livre quando pensa livremente, quando a sua imaginação és "solta", o conhecimento, este sim é limitado, pois tem valor de idéia fechado, a imaginação, você pode dar voltas ao mundo.
bjkitas
Mari

ShipTech Soluções em Informática disse...

A loucura dessa geração em pensar que devo atingir meu êxtase de prazer e total liberdade sem os deveres vem do proveniente Jean Paul Sartre, que pós todas as regras de conduta abaixo e colocou o homem como tendo a excência depois que nasce e não sendo nada antes. Então vivemos em maior parte, numa sociedade que diz que tudo lhe convém e o que importa é você se sentir bem não importando o preço que você irá pagar. Então vemos mâes jogando seus recém nascidos em lixos ou em rios, vemos homens e mulheres fazendo do casamento um jogo de azar, vemos o sexo sendo praticado sem a noção de compromisso, vemos filhos rebeldes e sem causa, vemos famílias destruídas e consequentemente uma sociedade desiquilibrada.